EM RITMO DE FUGA :: PO PARTICIPA DE COLETIVA COM ANSEL ELGORT E EDGAR WRIGHT E CONTA TUDO O QUE ROLOU


O Parada Obrigatória pôde conferir a convite da Sony, uma coletiva exclusiva do filme “Em Ritmo de Fuga” com o diretor Edgar Wright e o ator Ansel Elgort. Só uma palavra não basta para descrever o quanto foi fantástico e como os dois foram um amor de pessoa com todos nós lá no auditório, respondendo as perguntas de todos e conversando na maior naturalidade possível. O palco montado para a entrevista chamou a atenção, ficaram ao fundo dois grandes painéis e com o nome do filme em destaque ao centro e as cadeiras usadas por eles eram na verdade assentos de carros esportivos de alto luxo. 
O comando da coletiva ficou por parte de Roberto Sadovski, um crítico de cinema e jornalista, mas quem comandou tudo mesmo foi o público presente.


O diretor disse que ele procurou não usar muitos efeitos especiais no filme, assim podemos conferir que tudo fica mais perfeito, se tornando real. As cenas de fuga com o carro tiveram que ser gravadas em 10/15 minutos, pois esse foi o tempo que foi dado a eles para usarem o espaço nas ruas. Ele também disse que apareceu em uma cena, que aquilo foi um erro durante as filmagens, mas que conseguiram corrigir isso depois.
Sobre o filme estar indo super bem nas criticas, Wright contou que geralmente os filmes são cheios de diálogos, assim como em seu filme Scott Pilgrim e que as vezes fica um pouco difícil traduzir as piadas em inglês para outras línguas, e esse filme é muito mais focado na ação, possuindo menos diálogo, e que a música é algo universal e que todos adoram.


Ansel disse que sempre mantém contato e uma amizade com os atores com que ele participa nos filmes. Ele também contou que adorou o papel de Jamie Foxx já que ele faz um tipo muito engraçado e ao mesmo tempo muito assustador. Ele fez grande parte das cenas de fuga para trazer ao público um grande realismo e para isso ele fez aulas de direção defensiva. Eles deixaram claro que algumas das cenas foram realizadas com uma equipe especializada e o Ansel até brincou que a produção não o deixou fazer todas as coisas que ele aprendeu na direção. “Eles ficaram com medo que eu matasse o Jamie Foxx e John Hamm” afirmou Ansel de forma bem humorada.


Ansel contou que não se inspirou em nenhum personagem para encarnar Baby nas várias cenas de danças que pudemos ver e que não havia como ele se inspirar em alguém em especifico já que Baby é um personagem bem diferente de tudo que já existiu.

O filme que já está em cartaz é contagiante, não fica focado em diversos diálogos, ele é um filme para ser sentido junto com sua trilha sonora que é espetacular.

Confira nossa crítica aqui: Em Ritmo de Fuga: Crítica




Share on Google Plus

About Dani Baquette

This is a short description in the author block about the author. You edit it by entering text in the "Biographical Info" field in the user admin panel.

0 comentários :

Postar um comentário