O QUE ACHAMOS DE :: O PODEROSO CHEFINHO

O Poderoso Chefinho é aquela animação que te surpreende do começo ao fim, ele é cheio de referências e te faz sair do cinema encantado e com um leve sorriso no canto do rosto.

Tim é um garoto de 7 anos (e meio) completamente feliz que vive com seus pais que são super presentes em sua vida, sempre que Tim vai dormir, eles cantam, dão abraços e contam histórias recheadas de aventuras fazendo Tim viajar para vários mundos de fantasias. Ele acorda com seu despertador em formato de mago que conversa com ele e logo já começa a criar suas histórias, escolhendo seu chapéu e brincando o dia todo como qualquer garoto de sua idade. Mas isso muda a partir do momento que o bebê chega e seus pais são obrigados a dar mais atenção ao recém chegado do que a ele, criando um grande ciúmes e até raiva, pois o bebê não é bem o que parece ser.
Acontece que o recémchegado não é um bebê qualquer, ele usa terno, relógio, maleta, chega de táxi em casa e fala como um adulto, fazendo com que Tim tome providências para buscar uma maneira de contar para os pais o que realmente está acontecendo ali. Tim começa a implicar com o bebê, tenta gravar conversas das reuniões que houve com outros bebês no intuito de mostrar aos pais que ele não é uma criatura fofa como eles pensam e no fim precisam se unir por conta de um inimigo muito em comum.


O bebê é encaminhado exatamente para aquela casa para servir um time de uma corporação que está muito preocupada com o amor que as pessoas estão dando aos animais ao invés de dar para os bebês e com isso as pessoas não irão mais querer eles, e sim somente cachorrinhos, pondo a empresa a correr vários riscos.


Quem comanda a animação é a DreamWorks e ele é cheio de referências a algumas animações dos anos 90. As cenas onde Tim imagina um mundo de fantasias ao seu redor, com piratas, dinossauros, vilões entre outros nos fez lembrar e muito o desenho “O Fantástico Mundo de Bob”, alguma cenas no meio de sua incrível mente, há lutas com piratas em barcos no maior estilo “Peter Pan”, as cores das roupas e o estilo dos trigêmeos e até o sol nascendo te remete a “Teletubbies”. Há também referências a “Mary Poppins” com a “então” babá e seu guarda chuva, Moby Dick na perseguição da água e “Senhor dos Anéis” com o mago despertador de Tim e tem até o telefone igualzinho do desenho “Toy Story”. Enfim, é diversão para os pequenos e grandes na medida certa.


Nota: 09/10
Share on Google Plus

About Dani Baquette

This is a short description in the author block about the author. You edit it by entering text in the "Biographical Info" field in the user admin panel.

0 comentários :

Postar um comentário