O QUE ACHAMOS DE :: POWER RANGERS

Quando vemos várias adaptações serem feitos por aí a fora sempre bate aquele medo, aquela dúvida se o filme irá valer a pena gastar o dinheiro com o ingresso e também a pipoca e se irá ser fiel ao original, esse é o recém-medo dos fãs de Power Rangers, que fez sucesso nos anos 90 e agora volta com toda uma produção para ninguém botar defeito, com dramas cotidianos, roupagem totalmente reformulada e com uma história que conseguiu convencer e muito bem.

O filme conta o início do grupo, focando na vida particular de cada um, a atual versão torna tudo mais realista.
Jason, o ranger vermelho: um ótimo jogador de futebol americano em sua pequena cidade, devido a um acidente depois de uma atitude errada ele acaba lesionando o joelho não podendo mais jogar.
Billy, o ranger azul: ele é o mais inteligente, se aproxima de Jason a partir do momento que ele a salva de um garoto que o maltratava.
Trini, a ranger amarela: devido a constantes mudanças de residências não consegue fazer amizades com ninguém é independente e observadora. Se sente deslocada do mundo.
Zack, o ranger preto: cativante, charmoso e completamente cheio de si, às vezes, às vezes aparente ser durão, mas por dentro ele esconde ser uma pessoa super afetuosa com a mãe que se encontra muito doente.
Kimberly, a ranger rosa: já foi a garota mais popular da escola, mas por causa de um segredo e depois tudo mudou ao ficar um tempo afastada da escola.
Elizabeth Banks faz seu papel muito bem. Consegue trazer toda aquela magia da Rita Repulsa que todo fã ira amar. Ela irradia confiança que todo o seu papel exige, conseguindo roubar a cena toda vez que aparece na tela.

No início da abertura, podemos ver que originalmente os primeiros Power Rangers eram extraterrestres humanoides, que chegaram a terra há milhares de anos atrás. Quando Zordon e sua equipe tentavam defender a terra da Rita Repulsa um meteoro os atingem e os Rangers são todos eliminados e Zordon quase morre, porém seu fiel robô Alpha 5 o salva, o fazendo ser como ele já é conhecido por todos. Preso quase que eternamente na nave, Zordon tem que esperar até que alguém ache as moedas que permitem o desenvolvimento dos novos Rangers.
Milhões de anos depois, uma mina de ouro atrai a atenção de Billy que retomando as atividades do falecido pai tenta descobrir a misteriosa fonte de energia da montanha. Com a ajuda de Jason que precisou de ajuda para interceptar o sinal da tornozeleira eletrônica, eles vão até o local. Acontece que outros adolescentes também são atraídos pela montanha, sendo eles Zack, Kimberly e Trini.
Após Billy explodir a montanha para tentar encontrar algo eles descobrem as moedas, mas com o barulho eles escutam a chegada da polícia e tentar escapar, mas o carro acaba sendo atingido por um trem, capotando e deixando o carro completamente destruído. Como que do nada, eles acordam no dia seguinte, sem saber como voltaram para casa e reparam que estão com uma força e agilidade sobrenatural. Ao se encontrarem na escola, decidem retornar ao local e logo descobrem a nave enterrada e encontram o Alpha 5, que logo fica super contente em saber que finalmente os Rangers voltaram, mas fica surpreso ao saber que eles são muito pequenos se for comparar com os antecessores, mas logo já explica a todos eles a missão: salvar o universo e destruir a Rita Repulsa. Para controlar seus recém-descobertos poderes eles terão que se conhecerem melhor, se unirem, aprender a lutar e principalmente a morfar.

Com cenas de lutas praticamente perfeitas, com os gigantes Zords, e um incrível Megazord que não poderia ficar de fora, o filme é uma pedida para todos aqueles que assim como eu, assistiam os episódios na TV. Os efeitos especiais estão maravilhoso em cada pequeno detalhe.
O impressionante são os detalhes de Goldar, ele está muito maior do que estamos acostumados a vê-lo em não lembra em nada o original e é feito totalmente de ouro.
Tem ainda os dois antigos Rangers verde e rosa que aparecem bem no final do filme em uma pontinha, mas já vale a pena rever eles ali.
Recomendo assistir o filme em tela IMAX que lhe proporciona uma maior imersão ao mundo dos Power Rangers te fazendo sentir praticamente dentro do filme.
E há também, a música tema tocando... Tornando tudo nostálgico, triunfante e fazendo todo mundo vibrar de alegria no cinema.
Não vão embora da sala até ver a cena pós-créditos, isso é primordial.




Nota: 9/10





Share on Google Plus

About Dani Baquette

This is a short description in the author block about the author. You edit it by entering text in the "Biographical Info" field in the user admin panel.

0 comentários :

Postar um comentário