O QUE ACHAMOS DE :: KONG: A ILHA DA CAVEIRA


King Kong tem sido refilmado várias e várias vezes desde a sua primeira aparição na década de 30, sendo um imenso gorila que vive em uma ilha remota que é o centro da atenção causando vários transtornos e etc., mas dessa vez podemos dizer que tudo está melhor, digo pela história, os personagens, os efeitos especiais e a própria grande atração, o Kong que está surpreendente em cada detalhe no longa.
Comandando a expedição, temos Bill Randa (John Goodman – Rua Cloverfield 10) que depois de muitas tentativas para conseguir uma aprovação para poder ir a ilha, consegue através do vereador, depois de muita insistência e muitos “nãos” seu veredicto para a exploração do lugar, James Conrad (Tom Hiddleston – Thor) é um tremendo mercenário, especialista em rastreamento na selva, no grupo também inclui Mason Weaver (Brie Larson – O Quarto de Jack), uma fotógrafa de guerra desacreditada por ser mulher por ninguém menos que Preston Packard (Samuel L. Jackson – Pulp Fiction), que desde o começo já demonstra ser linha dura.
Para mapear o lugar é criado um abalo sísmico, onde desparta o Kong, totalmente violento e irritado com tudo a sua volta, fazendo com que ele destrua quase todos os helicópteros antes mesmo de pousarem na ilha. Logo após o ataque, o grupo acaba se separando, com Jackson querendo a sua vingança junto com outros soldados e Hiddleston junto com outros sobreviventes tentando chegar a um ponto de resgate da ilha. O que eles não contavam é que a ilha não tem somente o Kong como a única criatura gigante do lugar.
Como todo filme sempre tem aquela coisa de alguém querer voltar para o lugar onde todo mundo quase morreu, querendo vingar a morte deles e tudo mais, o que é normalmente de praxe. O filme se desenrola super bem, não te deixando desgrudar os olhos da tela, ficando vidrado em cada cena e há também aquele detalhe que não foge as regras dos filmes do Kong onde ele acaba salvando a mulher do último instante.

Por conhecer como são todos os filmes do King Kong é logico que não queremos que ele morra né? Mas para saber o que acontece no final, nada melhor do que conferir no cinema, em especial em 3D e em IMAX onde as cenas ficam super melhores te fazendo sentir passar por tudo que todos ali passam. Para você ter ideia, o Kong pega, amassa e joga os helicópteros fazendo-os parecer mosquitos e quando faz o mesmo com os humanos, bem, não preciso dizer para não estragar a graça.


Dica valiosa: Tem uma cena pós-crédito, portanto esperem um pouquinho a mais na sala.

Nota: 9/10


Share on Google Plus

About Dani Baquette

This is a short description in the author block about the author. You edit it by entering text in the "Biographical Info" field in the user admin panel.

0 comentários :

Postar um comentário