O QUE ACHAMOS DE :: A BELA E A FERA

Tivemos o imenso prazer de assistir o belíssimo remake e live-action de A Bela e a Fera e já queremos ver de novo. Como alguns dos personagens principais, temos a Emma Watson como Bela, Dan Stevens como a Fera e Josh Gad interpretando o Gaston.

O filme é espetacular, todos os detalhes foram muito bem pensados, como a fotografia, o figurino, a atuação maravilhosa da Emma Watson, a trilha sonora com uma baita surpresa no final, enfim, queremos assistir de novo o mais rápido possível... Ahhh, levem lencinhos pois é de se emocionar. Algumas partes não seguem exatamente como na animação, mas nada que faz fugir as regras. Você sai de lá também, por incrível que pareça, com a música do Gaston na cabeça.

Tem várias coisas que eles acrescentaram no enredo que não foram apresentados na animação, na qual te faz pensar que por algum instante você deve ter perdido algum detalhe na primeira versão, ledo engano, o filme saiu do que poderíamos chamar da zona de conforto sem perder todo o seu brilho. Temos que pensar que fazer um live-action não é fácil, por isso essas partes extras se tornaram fundamentais.

Os trajes deslumbrantes e o design extraordinário são um conjunto perfeito e traz uma alegria geral ao vê-lo, mas são as performances que mais se destacam nesse remake memorável. O filme é bem colorido, mas consegue mantém muito bem o ar sombrio em algumas partes, principalmente no castelo.

Bela (Emma Watson) está delicada e recatada, mas nem por um momento deixa de brilhar, se mantendo igual à animação com os olhos curiosos e uma aura brilhante e cativante, sua voz nas canções ficaram lindas, sabendo transmitir através da música sua raiva, tristeza e amor. Ela consegue deixar de ser somente a Hermione para se tornar a Bela.

Fera (Dan Stevens) está simplesmente magistral, a Fera parece real. É muito engraçado ver algumas cenas quando ele deixa o lado “bruto” de lado fazendo algumas brincadeiras e sorrindo ao lado da Bela.

Gaston (Luke Evans) nasceu para interpretar Gastão, foi uma escolha perfeita, ele é engraçado e ao mesmo tempo um babaca, galante e encantador, chamando a atenção do começo ao fim por sua atuação, te fazendo odiar e amá-lo ao mesmo tempo.

LeFou (Josh Gad) está impecável, muito contagiante e divertido, não entendemos o motivo de tanta polêmica referente a ele ser gay, uma vez que não tem nada de mais ele ser gay no filme e gente, não tem nenhuma cena inapropriada, lá ele só demonstra ser aquele que tipo de gente que fica puxando saco do chefe, ele admira e muito o Gaston imitando os gestos e  o bajulando muito. A identidade dele só é revelada rapidamente no baile ao final do filme.

O pai de Bela, Maurice (Kevin Kline) não é inventor no filme, ele acaba sendo um senhor que constrói caixinhas de músicas e um humilde pintor e o passado dele é um pouco mais aprofundado.

Stanley Tucci e Audra McDonald são o cravo e o guarda-roupa, Ewan McGregor e Ian McKellen são o divertido candelabro e o relógio ansioso. Gugu Mbatha-Raw é Fifi,  o espanador de pena. O jovem Nathan Mack é a Chip,  a xícara mais fofa do universo e filho da Sra. Potts. As músicas, as brincadeiras e interpretações são vívidas e soam ao natural, sem se parecem apenas objetos. Vamos dar ênfase para a canção “Be Our Guest” em português “Seja Nossa Convidada” que é apresentado pelos personagens acima, a cena demorou quase um ano para ficar pronta, pois foi criada quase que totalmente em CGI e contou até com um coreógrafo para poder criá-la.

Não percam a estreia dia 16 de março!!!!!


Nota: 10


Share on Google Plus

About Dani Baquette

This is a short description in the author block about the author. You edit it by entering text in the "Biographical Info" field in the user admin panel.

0 comentários :

Postar um comentário