O QUE ACHAMOS DE:: Rogue One, uma história Star Wars.

Rogue One, uma história Star Wars, chegou aos cinemas. O Spin Off de uma das sagas mais populares de todos os tempos narra a trajetória da aliança rebelde para conseguir os planos da primeira Estrela da Morte construída pelo império. Nós vimos o filme e viemos te contar o que achamos, pode ler sem medo, o texto é livre de spoiler.


O que há de bom:
A atmosfera que permeia o filme é de pura nostalgia, além de um prato cheio de easter eggs que são praticamente um abraço caloroso no coração dos fãs. Por se situar no meio da franquia de filmes já lançados a anos, havia o grande desafio de nos entreter contando como aconteceu, afinal, nós já sabíamos o que tinha acontecido desde o letreiro de introdução de Uma nova esperança. Uma das coisas mais interessantes aqui é talvez aquela que mais tenha causado dúvida quando o longa foi anunciado: Como fazer um filme de Star Wars sem a presença dos Jedis? Rogue One acerta em trazer personagens mais humanos, com dilemas mais palpáveis. É o filme que mais retrata a guerra presente no título e provavelmente também o mais cruel da saga. A um sentido de urgência, relações que precisam ser resolvidas no meio da ação. Tire todo o grosso que caracteriza a franquia e podemos ver claramente as relações e os conflitos com o qual relacionamos um povo oprimido, o filme finalmente também desmitifica a pureza das ações dos rebeldes, mostrando como pessoas desesperadas podem ter atitudes questionáveis.  Claro que não é um filme sombrio, afinal ainda é um blockbuster, e pode até não ser o melhor filme de Star Wars, mas com certeza é a aquele que melhor retrata o conflito entre o império, a aliança e os civis que ficam no meio do fogo cruzado. É mais humano, mais próximo.
Quase todos os personagens novos tem seu propósito e seu ponto alto durante a trama, que acrescenta elementos novos e consegue até corrigir antigos furos, e se tratar de uma história contida em seu filme. Todas as aberturas são fechadas.

O que podia ser melhor:
Desta vez esse tópico não será só para dizer os pontos fracos, mas para também levantar um questionamento. Uma preocupação que sempre ronda filmes de franquias grandes, o longa tem valor de entretenimento para quem não é fã a fundo da saga? Rogue One se mantêm fiel ao conceito de guerra e o conflito central é fácil de acompanhar, mas no meio de tantas referências, o quanto o filme vai passar sua mensagem para o público geral?
Pessoalmente, como fã, sempre indago se aquilo que mais me empolga pode ser justamente o que mais incomode quem só quer assistir ao filme por diversão.

Concluindo: Rogue One cumpre bem sua missão de contar uma história que começa e termina durante sua duração, mesmo quando nós já sabemos as consequências dos atos daquele filme. Gareth Edwards dirigiu a obra de fã para fã e  ainda trouxe questionamentos interessantes sobre guerra e poder. Resta saber se isso pode atingir todo o público que um filme desse porte visa.
Notas: 8,5/10



PROMOCAO STAR WARS

Share on Google Plus

About Bruna Cagnin Fernandez

This is a short description in the author block about the author. You edit it by entering text in the "Biographical Info" field in the user admin panel.

0 comentários :

Postar um comentário