O que esperar: O filme da Mulher-Maravilha

A Mulher maravilha foi criada em 1941 por William Mouton Marston e se tornou um dos personagens mais icônicos da cultura pop. Primeira heroína feminina da história, Diana Prince é uma amazona, princesa da ilha de Themyscira, local habitado somente por guerreiras mulheres e suas habilidades especiais incluem super força, resistência e reflexos sobre-humanos, longevidade, capacidade de voar, entre outras coisas que variam de acordo com a vontade do roteirista. Além de ser fundadora da Liga da justiça.
Em  2 de Junho de 2017, finalmente, chega até nós o primeiro filme solo da personagem, como não conseguimos parar de pensar nele, reunimos alguns motivos para te convencer que esse longa será um marco histórico nos filmes de heróis.

Apesar de ter seu legado consolidado nas HQs e nas animações da DC Comics, em adaptações Diana ainda era um tanto quanto negligenciada, se compararmos com seus companheiros Batman e Superman, por exemplo. Enquanto os heróis masculinos possuem inúmeras versões em live action desde os anos 40, Diana só tinha encontrado certo sucesso na série de TV estrelada por Lynda Carter que durou de 1975 até 1979.
Ao menos, não podemos dizer que não foi por falta de tentativa, depois de um filme engavetado da liga da justiça em 2007 e um novo piloto de televisão descartado em 2011, a apresentação da personagem nos cinemas finalmente aconteceu em Batman v Superman e,  tanto entre aqueles que odiaram e os que amaram o longa de Zack Snyder, uma coisa era unanimidade: A mulher-maravilha era um dos pontos mais altos.

Lynda Carter na consagrada série dos anos 70. Ao lado, Megan Gale em um teste de figurino para o filme cancelado da Liga da justiça e Adrianne Palicki nas gravações do piloto de série recusado.


 Gal Gadot tinha seu papel mais conhecido anteriormente pela franquia Velozes e furiosos, quando anunciada houve certo burburinho de reprovação da parte de alguns pela falta de semelhança física da atriz com a personagem, mas após o filme a aceitação da atriz cresceu de forma impressionante. Israelense, ex miss e ex militar (pois é!) a atriz de 31 anos foi uma surpresa, e se anteriormente haviam duvidas de sua capacidade, hoje elas foram todas silenciadas.

Gal Gadot em foto promocional de Batman v Superman
Mas, não é só pela participação anterior no DCU que esperamos o melhor do filme. A personagem tem em toda sua história a importância de representar o poder feminino, felizmente, isso não se limitará as atrizes, mas também a produção do longa. Essa é a minha deixa para falar de Patty Jenkins. Mulher maravilha é um dos três blockbusters da história do cinema a ser dirigido por uma mulher, ou seja, três mulheres em Hollywood conseguiram estar a frente de um filme cujo o orçamente chegou a 100 milhões de dólares, e dois deles ainda sequer foram lançados. As diretoras são: Katheryn Bigelow com K-19 The widowmaker (2002) e Ava DuVernay com Uma dobra no tempo (lançamento previsto para 2018). Além de Jenkins, claro, em 2017.
Essa produção já está fazendo história!

Patty Jenkins é vencedora do Emmy pela sua direção em alguns episódios da serie The Killing e também é conhecida por ter roteirizado e dirigido o filme Monster, que deu o Oscar de melhor atriz para Charlize Theron.
a diretora Patty Jenkins/Mulher Maravilha na saga Os novos 52.
Mulher-maravilha é mais do que um personagem, é uma representação. O seu primeiro longa solo tem potencial para se tornar um marco na indústria cinematográfica. Cruzemos os dedos para que a produção faça jus a personagem que o intitula.

Share on Google Plus

About Bruna Cagnin Fernandez

This is a short description in the author block about the author. You edit it by entering text in the "Biographical Info" field in the user admin panel.

0 comentários :

Postar um comentário