De A á Z - Marilyn Monroe - parte 2

*Confira a 1ª Parte*

Kennedy
– Um dos mistérios da vida de Marilyn é seu caso com o presidente Kennedy. O político ficara obcecado por ela durante sua recuperação de uma operação na coluna que o deixou imobilizado. O caso entre eles teve início depois de seu divórcio de Vitor Baggio e continuou enquanto ela esteve casada com Miller. Eles se encontravam na suite dele do Carlyle Hotel, em Nova Iorque, ou na casa de praia de Peter Lawford, em Santa Monica. O FBI grampeou a casa de praia de Lawford e John Edgar Hoover, o chefe do FBI, usou as gravações para manter seu cargo quando Kennedy tentou demiti-lo. Apesar de suas ilusões, Marilyn sabia que Kennedy desejava apenas a estrela cintilante de cinema, não a mulher que era.

Livros – Existem mais de 600 livros escritos sobre ela

Miller – No dia 29 de junho de 1956, Marilyn casou-se com o dramaturgo Arthur Miller. O casal se conheceu através de Lee Strasberg. Enquanto eles estavam casados, em 1961, Arthur escreveu o papel de "Roslyn Taber" de Os Desajustados, (The Misfits), especialmente para Marilyn. O casamento entre Marilyn e Arthur terminou no dia 20 de janeiro de 1961. A data do divórcio, ocorrido no México, foi escolhida por ser o dia da posse do presidente John F. Kennedy, nos Estados Unidos, numa tentativa de manter a separação fora das manchetes. A tática não funcionou.

Nome – Quando ela assinou com a 20th Century-Fox, Ben Lyon escolheu Carol Lind como seu nome artístico. Eventualmente, ela escolheu o nome de solteira da mãe, Monroe. Três outros nomes foram elaborados como possíveis: Norma Jeane Monroe, Jean Monroe e o Marilyn Monroe.

Orfanatos – Norma Jeane passou grande parte de sua infância em casas de família e orfanatos até que, em 1937, mudou-se para a casa de Grace Mckee Goddard, amiga da família.

Productions – Criou sua própria produtora, Marilyn Monroe Productions, com Milton H. Greene , em 1955.

Quente – Em Dezembro de 1953, Marilyn se tornou a “queridinha” do mês
da revista Playboy.

Rosto – Temendo manchas, ela lavava o rosto quinze vezes ao dia.

Salário – Em seu primeiro trabalho modelando o cachê recebido ficou em torno de apenas cinco reais.

Telefone – Morreu com o telefone na mão.

Usina –Foi "descoberta" durante a Segunda Guerra Mundial, pelos fotógrafos da imprensa durante uma sessão na fábrica Radioplane na Califórnia. Ela era uma das funcionarias da usina.

Video – Em 2009, foi encontrado no porão de uma casa em Nova Jersey um vídeo que mostra a diva em uma festa informal. O vídeo, que foi gravado no final da década de 50, mostra Marilyn fumando. O vídeo foi leiloado por US$ 275 mil e arrematado pelo colecionador Keya Morgan, que prepara um documentário sobre a morte da atriz.

fraZs – "Uma atriz não é uma máquina, mas eles te tratam como se fosse. Uma máquina de fazer dinheiro."

"Nunca gostei do nome Marilyn. Frequentemente desejei que devia ter permanecido como o nome Jean Monroe. Mas suponho agora que está tarde demais para fazer isso."

"Se você consegue fazer uma garota rir, consegue fazer ela fazer qualquer coisa."


Xyz – No dia 5 de agosto de 1962, aos 36 anos, Marilyn faleceu enquanto dormia em sua casa em Brentwood, na Califórnia. A notícia foi um choque devido o caráter misterioso em que o fato se deu. Ninguém sabe de fato o que aconteceu naquela noite. Ouviu-se o barulho de um helicóptero. Uma ambulância foi vista esperando fora da casa dela antes que a empregada desse o alarme. As gravações de seus telefonemas e outras evidências desapareceram. O relatório da autópsia foi perdido. Toda a documentação do FBI sobre sua morte foi suprimida e os amigos de Marilyn que tentaram investigar o que acontecera receberam ameaças de morte. A versão em que prevalece é uma morte de overdose pela ingestão de barbitúricos.
*Confira a 1ª Parte*
Share on Google Plus

About Leonardo Marques

This is a short description in the author block about the author. You edit it by entering text in the "Biographical Info" field in the user admin panel.

0 comentários :

Postar um comentário