De A á Z - Dercy Gonçalves - parte 1

ABC - Dolores Costa Gonçalves, mais conhecida como Dercy Gonçalves, nasceu no interior do estado do Rio de Janeiro, mais precisamente em Santa Maria Madalena, em 23 de junho de 1907. Filha de um alfaiate e de uma lavadeira.
Era famosa por suas entrevistas irreverentes, pelo seu bom humor e pelo uso constante de palavras de baixo calão. Foi uma das maiores expoentes do teatro de improviso no Brasil

Abandonou - Sua mãe, chamada Margarida, abandonou o lar, quando descobriu a infidelidade do esposo. Teve uma preta, a quem chamava de "minha nega", que lhe deu todo o carinho. Teve vários irmãos. E não quis saber de ir muito à escola, embora se lembre de algum colégio que freqüentou, mas nunca foi boa aluna. Tudo o que sabe aprendeu com a vida.

Bilheteira - A família era muito pobre, e Dercy trabalhou desde muito nova. Foi bilheteira de cinema, além de apresentar-se para hóspedes de hotel em sua cidade.

Companhia - Aos dezessete anos, fugiu de casa e se juntou a uma companhia de teatro. Dercy estreou em 1929, em Leopoldina, integrando o elenco da Companhia Maria Castro. Fazendo teatro itinerante, fez dupla com Eugênio Pascoal em 1930, com quem se apresentou por cidades do interior de alguns estados, sob o nome de "Os Pascoalinos".

Dercimar - Em 1934, Dercy teve um relacionamento com o exportador de café mineiro Ademar Martins, do qual nasceu sua única filha, Dercimar.

Estrelando - Já especializando-se na comédia e no improviso, participou do auge do Teatro de revista brasileiro, nos anos 1930 e 1940, estrelando algumas delas, como "Rei Momo na Guerra", em 1943, de autoria de Freire Júnior e Assis Valente, na companhia do empresário Walter Pinto

Fatos - A partir da década de 1960, Dercy inicia espetáculos em solitário. As apresentações, feitas em teatros de todo o país, conquistam um público ainda cheio de moralismos. Nesses espetáculos aos poucos introduziu um monólogo no qual contava fatos autobiográficos de sua vida.

Gênero - Ao largo dessas apresentações, atuou, desde o início na Revista, em diversos filmes do gênero chanchada e comédias nacionais. A atriz fez, ao todo, 36 filmes.

Homenagem - Foi inaugurado no dia 07 de setembro de 1996 um museu em homenagem a Dercy.Ele abriga hoje acervo da atriz, incluindo trajes de cena e noite, chapéus, bolsas, perucas, sapatilhas, sombrinhas, bijuterias, troféus e placas, quadros, diplomas e certificados, cartazes, programas, entrevistas, fitas de vídeo, textos, jornais, revistas e fotos, correspondências pessoais etc. O museu fica na cidade de Santa Maria Madalena, sua cidade natal.

Inescrupuloso
- Sua carreira foi pautada no individualismo, tendo sofrido, já idosa, um desfalque nas economias por parte de um empresário inescrupuloso — o que a fez retomar a carreira, já octogenária.

José - Na televisão, chegou a ser a atriz mais bem paga da TV Excelsior em 1963, onde também conheceu o executivo José Bonifácio de Oliveira Sobrinho, o Boni. Depois passou para a TV Rio e já na TV Globo, convenceu Boni a trabalhar na emissora, junto de Walter Clark.

Liberalismo - De 1966 a 1969 apresentou na TV Globo um programa de auditório de muito sucesso, Dercy de Verdade (1966-1969), que acabou saindo do ar com o início da Censura no país. No final dos anos 1980, quando a censura permitiu maior liberalismo na programação, Dercy passou a integrar corpos de jurados em programas populares, como em alguns apresentados por Silvio Santos, e até aparições em telenovelas da Rede Globo.

Clique aqui, e confira a segunda parte.
Share on Google Plus

About Leonardo Marques

This is a short description in the author block about the author. You edit it by entering text in the "Biographical Info" field in the user admin panel.

1 comentários :

  1. Selo para seu blog no meu...

    ----------------------------------------------
    http://ogrobo71.blogspot.com/

    *Indiana de 70 anos dá luz a gêmeos e bate recorde
    *4º Selo
    *1º MEME

    [A PROCURA DE NOVAS PARCERIAS]

    Abç's !

    ResponderExcluir